Posted by : Cauan Cechinel sexta-feira, 14 de junho de 2013




Sinto-me completamente estranho para resenhar A Menina Que Roubava Livros. Arrebatador, instigante, filosófico, amável, sutil e ingênuo. Um livro tão desprovidos de pretensões que se tornou um dos meus livros favoritos. É impossível não se apaixonar por Liesel Meminger e querer cada ver mais que tudo na vida dela acabe bem mas como você descobre logo no começo, nada é assim.

Vamos começar falando da narradora cativante e genial: Dona Morte. Sim, a própria Morte é quem nos conta a encanadora história de Liesel. É extremamente empolgante o modo como a narradora nos apresenta a história pois muitas vezes ela ainda os fatos importantes e – particularmente – achei isto um ponto muito positivo. Claro que a Morte não fala simplesmente: “Liesel encontra uma moeda no próximo capítulo” ela costuma dizer coisas mais sutis como: “Algo agradável espera Liesel nos próximos dias.” E querendo ou não isso me fazia querer ler mais e mais para saber qual seria a tal surpresa agradável. Ela também antecipa fatos ruins e desde o começo fica bem evidente que a vida de Liesel não é um mar de rosas.

Logo que somos introduzidos à vida da menina que roubava livros seu irmão morre de frio – antes que me batam, isto não é spoiler, páginas iniciais! – e aí vemos o enterro desde irmão. Nesta ocasião Liesel consegue seu primeiro livro (o que a torna inicialmente uma menina que roubava livros) e ainda aí a morte nos conta que ela conseguirá outros sete. A vida da garota então sofre uma reviravolta e acaba que por fim ela é adotada por uma família alemã. E pronto, acabo por aí. Precisava contar tudo isso para poder contar agora dos pais adotivos de Liesel que eu realmente não podia deixar de fora.

Seus novos pais são Hans e Rosa Hubermann e confesso que logo de cara me dei muito mal com Rosa. Ela tem feições autoritárias e constantemente usa xingamentos. Logo me desfiz dessa imagem e tenho certeza que você – caro, leitor – terá esta mesma impressão sobre Rosa. Hans Hubermann é totalmente o oposto e vemos isso no primeiro episódio do casal em que Liesel se recusa a tomar banho e com algum cuidado e boas palavras no fim ele consegue fazê-la mudar de ideia e surge aí uma grande amizade entre pai e filha que eu achei uma das coisas mais bonitas do livro.

Ah, é claro! Não podia terminar a resenha sem citar ao menos em um parágrafo o melhor amigo de Liesel: Rudy. Seu vizinho, melhor amigo, companheiro de travessuras Rudy Steiner envolve-se na vida da garota de tal forma que você não sabe mais se gosta mais do jeito bobo dele ou do jeito doce e moleque da menina ladra. O livro conta a infância de Liesel até sua fase adolescente então eu não sei se foi acompanhar toda uma parte da vida dela que me tornou tão ligado àquela menina, mas algo estava marcado em mim ao ler aquelas ultimas páginas com o coração na mão.

A Menina Que Roubava Livros vai roubar muito mais que livros. Vai roubar o tempo que você vai querer passar com ela, cada vez mais e com certeza vai roubar seu coração. Liesel Meminger é uma personagem principal como eu jamais havia visto e tenho certeza que jamais verei. Ao mesmo tempo que Liesel conseguia ser doce, gentil e brincalhona o mundo a sua volta estava sendo destruído e reconstruído constantemente. E  por fim, lembre-se: “Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler.”


Sobre o livro:

Autor: Markus Suzak
Editora: Intrínseca
Páginas: 480
Ano: 2007

★ ★   

EXCELENTE

{ 7 comentários... read them below or Comment }

  1. A Menina que Roubava livros é realmente arrebatador, não consegui fazer uma resenha a altura dele, e como já tinha lido muitos anos atrás, acabei deixando passar.. Gostei muito da resenha e do seu blog, boa escolha de palavras. A cativante dona Morte!

    Seguindo aqui seu blog!
    Se puder segue o meu? http://loveloversblog.blogspot.com
    Obrigada :D

    ResponderExcluir
  2. Vim seguir você de lá do grupo e não pude deixar de comentar aqui...

    A Menina que Roubava Livros é um dos livros favoritos em toda minha vida, e Makus Zusak é um dos maiores autores da minha vida (posso eleger dois campeões e ele é um deles). Esse livro foi uma das coisas mais maravilhosas que já li e é absurdamente difícil falar do que este homem fez com as palavras. É estupendo!

    Ótima resenha. O começo é exatamente o que sinto ao falar desse livro, estranheza, frente a tanta maravilha...

    Beijos
    Letícia (www.outroporfora.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Markus Suzak é tão bom que faz a gente perder o fôlego enquanto lê. O jeito como escreve e como nos conta a história da jovem Liesel e simplesmente encantador.

      E obrigado por seu comentário!

      Excluir
  3. Sou apaixonada por esse livro, é um dos meus preferidos! Não fiz resenha sobre ele pois fiquei com medo de não conseguir transmitir tudo o que senti ao lê-lo.

    Seguindo :D
    http://viciosdeumabaiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Esse livro é incrível, nos leva a diversos sentimentos durante sua leitura!

    Adorei sua resenha, Seguindo.

    http://livrocomcapadechuva.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho um amor especial pelo autor e mais especialmente por esse livro maravilhoso, que te conquista mais e mais a cada pagina lida! Adorei sua resenha! Mal posso esperar para conferir o filme *o*
    seguindo,beijos.
    http://imemoriavel.blogspot.com/

    ResponderExcluir

- Copyright © 2013 Contracapa | Blog Literário - Shiroi - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -