Posted by : Cauan Cechinel quinta-feira, 20 de março de 2014

Muito bem, tenho um comunicado importante a fazer. (Som de tambores.) Agora temos uma nova tag no blog! É a tag Filmes. Nestas postagens vou fazer uma crítica – nem sempre agradável – expondo a minha opinião acerca de um filme que assisti recentemente. E para inaugurar esta nova tag eu escolhi um filme que me cativou desde o primeiro minuto: Os Croods.

Uma família das cavernas comum...


Neste filme somos levados de volta à pré-história vulgo idade das cavernas onde acompanhamos a “vida” de humanos naquela época da história. Coloquei vida entre aspas porque viver não era exatamente o que faziam, aliás tem uma passagem no filme em que a personagem principal Eep fala exatamente isso quando se refere a vida que tinham se escondendo em cavernas. Olha só:

Aquilo não era viver, era apenas... não morrer.

Rebelde, curiosa e aventureira!
E ela estava certa. Não haviam aventuras, coisas novas nem nada do gênero. Aliás, coisas novas eram terminantemente proibidas pela pai superprotetor que fazia todos seguirem regras rígidas para que a família sobrevivesse. O que fazia algum sentido considerando que todas as outras famílias que moravam perto deles haviam morrido )esmagadas, gripadas, engolidas por uma cobra gigante). A família parecia se contentar vivendo assim, exceto por uma integrante: Eep, a adolescente rebelde.

[Vai parecer spoiler. Mas não é, ok?] Certo dia contrariando ordens do pai, ela acaba escapando para fora da caverna durante a noite e é nesta noite que ela conhece um jovem que mudaria a vida de todos eles de um jeito que os faria mudar o rumo da história da humanidade. Guy, é o garoto moderno, trás para eles coisas que no nosso dia-a-dia parecem corriqueiras, desde o primeiro contato com o fogo até o primeiro contato com sapatos. É Guy quem introduz a família Croods ao mundo aberto. Aqui uma frase dele, quando Os Croods mostram-se temerosos diante do futuro:

“Nunca tenha medo.”

E está é uma frase bem impactante considerando que o lema d’Os Croods era justamente o contrário, para eles ter medo significava  sobreviver.

Agora, deixando um pouco a história do filme em si e falando sobre ele. Só posso dar os parabéns a equipe de produção. Desde de imagem, desenvolvimento dos personagens até a sonoplastia que fez um trabalho excelente. Um ponto que eu PRECISO destacar é o detalhe que tem cada personagem e o mundo a sua volta. Cada fio de cabelo, cada folha, cada gota parece ter vida própria e movimento único. Os mínimos detalhes foram pensados com clareza e muito bem executados. Há machucados no rosto do patriarca da família, fios de cabelo soltos e dentes tortos. Isso foi um grande diferencial do filme. Por serem homens da caverna, eles não poderiam ser exatamente bonitos e mesmo em sua feiura, os criadores conseguiram fazer algo belo. Os personagens são cativantes e de personalidade forte, algo que torna a intimidade de quem assiste o filme com os protagonistas, muito maior.

 Volto a citar a sonoplastia, que conseguiu criar momentos épicas e angustiantes através das músicas. Há uma cena (a cena do gif aqui embaixo) que retrata bem um desses momentos. O mundo bem detalhado e os personagens maravilhados com ele, enquanto ao fundo tem uma música de cena épica que dá a tudo um ar maravilhoso.

Adicione uma trilha sonora imbatível ao fundo e tcharam!


Seja como for, Os Croods é uma animação que mesmo não tendo levado o oscar, mostrava-se merecedora. O humor, os detalhes, o som e principalmente a história, mostram que esse filme é muito mais que um “desenho animado” é um filme que faz você ansiar por mais a cada minuto.
★ ★ ★ ★★
PERFEITO

{ 2 comentários... read them below or Comment }

  1. Já estou procurando aqui para baixar, sim pq é mais comodo, não me mate rsrsrs. Adorei a história, já tinha visto alguma coisa mas nunca parei para ver o que realmente era e adoro animações. Vou assintir fds com a minha sobrinha kkkkk

    ResponderExcluir
  2. filme lindo e divertido ,kkk
    Estou seguindo aqui, pode retribuir seguindo o meu blog livro-azul.blogspot.com.br ? Um Beijo

    ResponderExcluir

- Copyright © 2013 Contracapa | Blog Literário - Shiroi - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -